terça-feira, 19 de junho de 2018

Mini wedding - o casamento intimista

Foto: Confit Gastronomia

Mini wedding é a prova que o sonho de casar (e com elegância e sofisticação) está ao alcance de todos. Os noivos que escolhem este estilo de casamento preferem uma cerimônia e festa em tamanho menor, bem intimista, que permite um investimento maior no buffet, bebidas e serviços em geral. Devido a isso, nem sempre o mini wedding custa mais barato como parece. 

Porém, mesmo sendo uma festa pequena, com no máximo 100 convidados, este estilo de casamento requer a mesma atenção que os casamentos tradicionais, pois cada detalhe pode fazer a diferença no planejamento do grande dia!


Como Organizar um Mini Wedding?


No mini casamento, os noivos têm uma liberdade maior quando o assunto é orçamento. Com o número de convidados reduzido, os noivos podem elevar a qualidade dos serviços mais importantes para o casal, que geralmente são os convites, decoração, buffet, bar e fotografia, por exemplo.



Muitas vezes, este estilo de casamento pode ser confundido com casamento barato, mas não é nada disso. Este casamento é indicado para casais com preferência em comemorações mais íntimas, que estão atrás da mais alta qualidade de comida, bebida e entretenimento do evento. A lista não é muito diferente de um tradicional casamento porém com a quantidade reduzida de convidados, os noivos mesmos podem cuidar dos detalhes pessoalmente:




Número de convidados: 
Alguns conhecidos ficarão de fora, com certeza. Por isso, chame apenas quem é de suma importância para a 
vida do casal, como familiares e amigos mais próximos.

O que servir: Coquetéis volantes são perfeitos pois não requer que os convidados estejam acomodados em mesas, isso facilita também a aproximação dos noivos com todos. Sem falar que esse tipo de serviço, muito utilizado nos Estados Unidos, está super em alta também no Brasil. Complemente com uma pequena mesa de doces e bem casados.

Decoração: flores em pequenos arranjos são sempre bem vindas.
Espaço de casamento: na própria casa, no salão de festas do prédio e até ao ar livre.


Organização: Como citei, por ser um evento intimista, os noivos podem cuidar pessoalmente, ou podem também selecionar empresas de eventos que cuidam de tudo, como fazem na Confit Gastronomia e Eventos (de onde inclusive "roubei" as essas fotos eheheh) cuidando não só da gastronomia mas dos detalhes importantes como mesa de doces, espumantes, flores.. 
Em um mini wedding, os pequenos detalhes fazem muita diferença para que seu casamento seja inesquecível como merece ser. 

terça-feira, 5 de junho de 2018

Nossa experiência no Peppo Cuccina

Dia 04 de junho eu e e meu esposo completamos 7 anos de casados.
Todos os anos, nos damos como presente ou um jantar em um restaurante especial ou uma viagem curta, depende do dia da semana que cai. Esse ano como foi em uma segunda-feira, decidimos sair para jantar e optamos pelo Peppo (nós dois amamos gastronomia Italiana).


E o Peppo é assim: o salão incrivelmente aconchegante e romântico, o atendimento desde a recepção já impressiona pois apesar do ar de requinte, o clima e as pessoas lá fazem tudo ficar com ar de "casa da nona" (mas claro, de uma vovó muito elegante).


Fomos recebidos pelo maitre, o Jeferson, super simpático, nos apresentou a carta de vinhos. As espumantes com opções desde R$ 97,00 e também opções de meia garrafa ou em taça. E durante o jantar fomos atendidos por uma garçonete tão especial (e que eu não soube o nome), comentei com ela que estávamos celebrando nossas Bodas de Lã e ela amorosamente nos parabenizou.


O mais difícil de jantar por lá é sem dúvida escolher o prato: todas as opções são apaixonantes. Mama mia!! Mas fomos de Garganelli Colorati Al Sugo de Agnello (cordeiro em cubos flambados com vodca ao molho de vinho e creme de leite) e Tortelloni Al Sugo de Agnello (pasta recheada com ricota, damasco e castanha do pará ao molho de cordeiro em cubos flambado com vodca e creme de leite). Sim, quase as mesmas opções... depois de 7 anos de convivência, os gostos ficam mesmo parecidos..
E quando pensávamos se pediríamos sobremesa ou não, fomos surpreendidos com uma linda fatia de Charlotte Di Cioccolato, escrita "Feliz 7 anos", uma velinha acesa e a garçonete nos parabenizando.


Gente, que lugar e que 'pessoas mais amor'. Fiquei encantada não só com a torta de chocolate mas com a forma como foi trazida, com a preocupação com que todos tiveram em tornar o nosso momento ainda mais especial.


Certamente voltaremos lá e posso afirmar que para nós o Peppo sempre será visto como um restaurante muito especial. Mais que um jantar, uma experiência cheia de amor!

sábado, 2 de junho de 2018

SÉRIE Vinhos Brasileiros: Casa Valduga




A Casa Valduga é uma das grandes atrações do Vale do Vinhedos (Bento Gonçalves/RS).

O lugar é encantador e bastante sofisticado. Dentro da chamada Villa Valduga, é possível hospedar-se na pousada, desfrutar do restaurante Maria Valduga e fazer compras na enoboutique.

É comum na região do Vale dos Vinhedos, as vinícolas cobrarem ou uma pequena taxa para visita aos parreirais e degustação e, normalmente, parte o valor pago o cliente pode ter em desconto nas compras na loja (é o caso da Salton que é cobrado R$ 10,00 e a metade fica em desconto na loja, a Miolo tem a mesma prática - não recordo o valor que cobram), ou simplesmente não cobram (caso da Chandon e Dal Pizzol).

Já na Casa Valduga é diferente, o valor é cobrado sim porém você recebe uma taça de cristal, o tour começa por um vídeo e vai até os vinhedos - caso esteja chuvoso, fica por dentro da vinícola mesmo mas não perde em nada pois beber em meio as barricas é também muito acolhedor - e degusta-se todos os rótulos a vontade, a menos que eu tenha tido sorte com o guia que nos recebeu, ele nos deixou bem confortáveis para provar novamente (e novamente...) os vinhos ou espumantes que mais gostamos.

Se foi estratégico eu não sei, mas saí de lá carregada das garrafas que "mais gostei"... 

Na segunda visita que fiz - sim, é pertinho de Porto Alegre e vou para Bento sempre que possível, pra mim é bem mais encantador que Gramado, por exemplo - acho sim que é o encanto do mundo dos vinhos e espumantes - fomos para almoçar no restaurante Maria Valduga. Quis conhecer o famoso restaurante da região.


O salão é lindo, os vinhos são ótimos para consumir pois se pode comprar os mesmos vinhos da loja, a preço de varejo mesmo. O menu oferecido é estilo as demais cantinas da cidade: massas, galeto, saladas porém não há menu na mesa e nada informam na entrada, então não sabíamos ao certo o que iríamos consumir. 
A proposta é os garçons (educados e impecavelmente arrumados), trazerem à mesa e repor ou oferecer novo prato quando a porção do cliente termina mas isso acontecia em um ritmo muito lento, o salão não estava cheio, percebia-se muitos funcionários circulando mas a comida vinha da cozinha em ritmo lento mesmo. 
Finalmente a sobremesa, optei pela panna cotta (tipica sobremesa Italiana de Piemonte) boa, saborosa. Só me decepcionou um pouco (aí faço crítica mesmo como profissional da área) não utilizarem a fava da baunilha e sim a essência, o que confere um gosto mais artificial. É gostoso, aliás, é como a maioria de faz doces em casa, mas esperava mais de um restaurante tão bem avaliado e não tão barato. 

Mas de modo geral, a combinação Tour e almoço valem sim a pena, especialmente se tiver um dia bonito pois você pode aproveitar as lindezas do lugar e cada cantinho.