domingo, 17 de abril de 2016

Vale del Maipo no Chile



Dos oito dias que estivemos no Chile, ficamos os três primeiros em Santiago hospedados no Bad em Wine , em quarto com banheiro privado mas eles têm opções de quartos com banheiro compartilhado com custo menor. Optamos por esse hotel por ser perto da estação de metrô de Santiago, de alguns pontos turísticos como o Cerro de San Cristóbal e do Pátio Belavista (que viramos fãs e fomos jantar lá todas as noites que estivemos na capital).


O hotel não tem nada de luxo mas é super confortável e com atendimento do tipo "sinta-se em casa", nos sentimos muito acolhidos. Pagamos muito barato (cerca de U$D 55,00), então só poderíamos exigir uma boa cama e chuveiro mas eles ainda oferecem um café da manhã simples e se não for suficiente, pertinho do Hotel tem uma Starbucks. 

Primeiro dia:

Chegamos a tarde na cidade, no Hotel mesmo pegamos um mapa e com as boas orientações do Enio, fomos a pé conhecer o Cerro de San Cristóbal que fica junto ao Zoológico da cidade e a noite fomos curtir um bar no pátio Belavista (era caminho da volta para o hotel). 


Subimos no morro com um carrinho chamado "Funicular", chegando no topo, a vista da cidade é linda e vale a pena sentar e curtir o momento. 

Capela do Cerro de San Cristóban 


Vista de Santiago 

E acabamos a boite com uma boa pizza, espumante em taça pra mim e chop para ele em um dos diversos restaurantes do Pátio Belavista. Este lugar é uma espécie de shopping aberto de bares, wine bar e restaurantes. 

O Chile tem muita influência da gastronomia Peruana, então além do famoso salmão Chileno, pode-se encontrar os mais variados tipos de ceviche, tudo acompanhado de muito vinho e espumantes locais. 




Segundo dia:

Para você entender como funcionam os vinhedos por lá (pois eu desconhecia até pesquisar e chegar lá), o Chile possui oito vales produtores de vinhos, cada um deles fica em uma região do país e têm suas uvas características de cada região. 

O Vale del Maipo (em Santiago), é um dos mais antigos e clássicos.

Agora sim... um dia inteiro nas vinícolas Santa Rita e Concha Y Toro.

Quando ainda estava em casa, planejando a viagem, reservei todos os hotéis e vinícolas que gostaria de ir, como sempre fazemos nossas viagens por conta própria, acreditei que reservar as vinícolas de forma particular, sairia mais barato mas me enganei pois no dia anterior que conhecemos o Cerro de San Cristóban, nos deparamos com uma das inúmeras lojas da empresa Turistik que são espalhadas pela cidade. 


Eu havia reservado de casa a Undurraga e Santa Rita porém em média $ 22.000 cada uma para cada pessoa. Chegando na loja da Turistik, nos ofertaram o Tour Concha Y Toro + Santa Rita por $ 49.000 as duas, para cada pessoa. Fechamos com eles já que por conta teríamos que ir ou de metrô e ônibus ou taxi, o que nos faria gastar ainda mais. 

Nosso ônibus nos pegou no Hotel as 8:30h com destino a Viña Santa Rita. Chegando lá fizemos um passeio pelos jardins da vinícola, conhecemos a capela da família que lá antes residida, conhecemos os parreirais e finalmente fomos encaminhados a sala de degustação onde experimentamos um branco e dois tintos. Gente, aqui vai um desabafo.. pra quem já conhece as vinícolas chilenas e tem o hábito de comprar algumas garrafas aqui no Brasil, quando chegar lá você terá vontade, assim como eu, de levar todas as garradas. Pra ter uma ideia, uma garrafa que aqui custa R$ 150,00, lá eu paguei menos de R$ 40,00 (já contando a conversão e o IOF do cartão). 





Degustação: cada um com sua taça e muitos brindes! 


Provando a uva Cabernet Souvignon 

Depois da Viña Santa Rita, paramos pra almoçar em um restaurante típico chileno chamado Eskenazo que foi proposto pela Turistik. E gente, aqui vai meu agradecimento (que sei lá se alguém da empresa vai ler esse post) ao guia Felipe que nos acompanhou pois o menino era uma simpatia só e ajudou o grupo até no restaurante na hora dos pedidos pois os garços só falam espanhol então o grupo de coreanos que estava conosco só conseguiu almoçar por conta do auxílio simpático Felipe... ehehehe 

Mesa ao ar livre no Restaurante Eskenazo 

Pedi uma taça de vinho branco de uma vinícola local e pequena e meu esposo uma cerveja. Não tivemos sorte com nossos pedidos pois levaram exatamente uma hora para chegar e recebi meu salmão totalmente cru (até um pouco frio por dentro) quando tivemos que agradecer e cancelar o pedido pois nosso grupo todo já havia almoçado e nosso ônibus quase partindo para a Cocha Y Toro.

O garçom desculpou-se muito (e nessa hora quem nos salvou e evitou uma "bebedeira" foi o santo do pão que tinha no couvert), dividimos o prato do meu esposo e logo recebemos mais um dose de cada bebida por conta da casa e mais duas cervejas artesanais... acho mesmo que estavam querendo nos alimentar de bebidas... heheheeh mas enfim, como eu disse, não tivemos sorte pois o atendimento foi muito bom e todos do nosso grupo estavam satisfeitos. 

A tarde, partimos para a Concha Y Toro, fizemos um tour com um guia brasileiro e conhecemos a famosa lenda do Casilleiro del Diablo, as caves subterrâneas e um rápido tour pelos jardins que antes pertenciam à família. Esta vinícola tem um apelo muito mais comercial do que turístico, o guia parecia estar ligado no automático com texto decorado na ponta da língua. Este foi o único tour em português nas várias vinícolas que fomos (e vamos falar de todas aqui) mas o menos simpático de todos. Mas enfim.. como todo tour acaba na sala de degustação, fechamos com chave de ouro!







A famosa lenda do Casilleiro del Diablo 

A melhor parte: degustação! 

Terceiro dia:

Para esse terceiro dia ainda em Santiago, tiramos o dia livre para conhecer os pontos turísticos da cidade. A empresa Turistik oferece um tour por Santiago, que custa o equivalente a R$ 120,00, você entra em um ônibus e pode parar nos pontos e subir e descer quantas vezes quiser, pois vão passando outros carros de tempos em tempos. Fizemos um tour semelhante a este quando fomos para Montevidéu no Uruguai mas pagamos um valor bem em conta. 






Então fizemos o seguinte, com o mapa da cidade e seus pontos turísticos na mão e as dicas que pegamos no nosso hotel com o Enio, tomamos um metrô na estação Salvador (bem pertinho do nosso hotel) e descemos na estação U. Chile. Saímos bem cedo, com tênis e roupas confortáveis e bem dispostos a caminhar muito.

Percorremos umas 5 horas de caminhada, entre paradas nos pontos e paradas para almoçar ou para o famoso Helado a tarde. 

Gostamos muito de conhecer Santiago a pé pois além economizar, pudemos explorar os lugares da nossa forma, no nosso tempo.




Pausa para almoçar no Chinchinero Sanguicheria & Cervecería. Sim sanduíches e cervejas pois nem só de vinho vive o Chile e nem o turista brasileiro, que adora uma cervejinha. 







Aqui terminou nossos 3 dias em Santiago, espero que tenham gostado desse primeiro post das nossas férias no Chile. Se tiverem alguma dúvida sobre a nossa viagem ou alguma conhecimento que queiram compartilhar, fique a vontade para comentar aqui. 

No dia seguinte, alugamos um carro e partimos para o Vale de Casablanca. Aguarde que na próxima semana escrevo mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário